fake pequenas empresas

3(três) MENTIRAS QUE JÁ TE CONTARAM SOBRE SOFTWARE DE GESTÃO PARA MICROEMPRESAS

É totalmente equivocado o pensamento de quem acredita que pequenas empresas não demandam um comprometimento no gerenciamento tanto quanto as médias e as grandes empresas.

Todo e qualquer negócio deve ter como prioridade um sistema de gestão eficiente, uma vez que tal gestão auxilia em tarefas que fazem parte do dia a dia das empresas, tais como pagamento de contas, vendas, contratos entre outras demandas rotineiras em qualquer empreendimento.


Com tantas tarefas para executar no cotidiano existe um certo fluxo de informação e esse deve estar bem organizado.

Assim, é possível não só que o seu negócio realize as atividades diárias de forma eficiente, como também contribua com o seu crescimento. Por isso, é preciso contar com a ajuda dos softwares de gestão, para que que assim se torne mais dinâmico da sua empresa.

É sabido que para muitos empreendedores causa certa estranheza tudo se resolver com tecnologia e desconhecem as vantagens proporcionadas por tal meio.

Mas estou aqui para desvendar todas as mentiras. Descubra agora a verdade por trás dos softwares de gestão e os benefícios que ele pode trazer para a sua empresa.

1. CUSTO BENEFÍCIO

Se algum dia já te assustaram quando aos preços de um software de gestão, saiba que quem fez isso cometeu um equívoco.  Preços são relativos, e como todo e qualquer serviço existe variação de preço.

Além disso, são diferentes necessidades, funcionalidades.

Dessa forma, é importante que se teste e verifique se aquele serviço atende as suas necessidades enquanto empresa. A autonomia é sua, faça a melhor escolha e pense nisso como um investimento.

2. COMPLEXIDADE PARA QUEM UTILIZA

A ideia de que softwares de gestão são complexos e que você vai demorar a entendê-lo atinge principalmente quem é inimigo da tecnologia.

Não o encare como inimigo, essa ferramenta veio justamente para facilitar a sua vida. A maioria conta ainda com suporte técnico e tutoriais. E como dito antes cabe a você escolher o que mais te agrada.             

3. SOFTWARE DE GESTÃO NÃO É DE GRANDE AJUDA PARA EMISSÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS

Outro equívoco. Existem diversos tipos de softwares de gestão onde muitos vão oferecer um excelente serviço de emissão de documentos fiscais.

Procure um software que conte com um sistema responsável por empresas com uma boa gestão.  Estude suas opções. 

Além disso os softwares de gestão irão garantir benefícios como controle financeiro, administrando seus gastos e despesas da melhor forma, pensando até mesmo em investimentos futuros.

O sistema ainda vai permitir que você enxergue claramente todos esses pontos. Outro benefício é o controle de estoque que está sempre atualizado.

Saber se tem o produto, quanto tem, quando acaba, tudo isso vai te fazer proporcionar um melhor serviço para o cliente que não sofrerá com possíveis faltas, ainda evitando aumentos causados por uma gestão bagunçada. 

O controle de vendas vai auxiliar no comissionamento dos seus colaboradores, além de causar ao empreendedor uma maior noção da sua esquipe e todos os seus resultados.

Ainda existem as obrigações fiscais quando a documentação para mantimento da regularidade. Guardas dados de forma digital é muito mais seguro e garante uma organização que otimizará seu tempo.

CONCLUSÃO

A utilização de softwares de gestão para pequenas empresas é uma alternativa simples para você que quer economizar tempo dinheiro e ter o controle da sua empresa.

É válido lembrar que a autonomia é sua, você vai escolher o melhor para você e para o seu negócio.

Não precisa mais ter medo de avanços. Agora que você sabe a verdade sobre esse recurso não precisa mais passar pelos sufocos que uma gestão desorganizada pode te causar.

Governo anuncia o fim do eSocial para 2020 segundo o Secretário da Previdência

Será mesmo o fim do e-social? Governo diz que sim!

O governo federal anunciou nesta terça-feira 09/07/2019, que o Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) será extinto em 2020.


O governo vai acabar com o eSocial e lançar um novo sistema para a prestação de informações previdenciárias, trabalhistas e tributárias em janeiro de 2020.

A informação é de que o governo pretende reduzir já nos próximos dois meses o número de dados que empresas e empregadores domésticos precisam a informar dos atuais 900 para 450.”


Rogério Marinho, secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, disse que o sistema será substituído por uma plataforma mais ágil.


Na última sexta-feira (5), o governo editou uma portaria suspendendo exigências que passariam a vigorar em julho e que aumentariam para 2 mil o número de informações prestadas. Além disso, pequenas e médias empresas teriam obrigatoriamente que utilizar o eSocial a partir deste mês, o que também não será mais cobrado.


“Vamos simplificar, desburocratizar e permitir que o Estado e o empregador se unam para gerar crescimento”, postou Marinho em seu perfil no Twitter.


Também foi suspensa a obrigatoriedade das empresas apresentarem informações de saúde e segurança de trabalho, que começaria neste mês.

Já dados básicos, como informações de folha de pagamento e férias, por exemplo, serão mantidas. Permanece ainda a obrigação de prestar informações sobre acidentes de trabalho.

Ate que fim!!! e-social – Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas.

Cupom fiscal eletrônico – NFCe Minas Gerais Obrigatoriedade

O uso da Nota Fiscal do Consumidor eletrônica – NFCe torna-se obrigatório, em substituição ao emissor de cupom fiscal ECF e à Nota Fiscal de Venda ao Consumidor, a partir das datas a seguir, para os respectivos contribuintes:

  • 1º de março de 2019: contribuintes que se inscreverem no Cadastro de Contribuintes deste Estado a contar da referida data;
  • 1º de abril de 2019: contribuintes enquadrados com CNAE 4731-8/00 (comércio varejista de combustíveis para veículos automotores), ou contribuintes com receita bruta anual superior a R$100.000.000,00 em 2018;
  • 1º de julho de 2019: contribuintes com receita bruta anual entre R$15.000.000,00 e R$100.000.000,00 em 2018;
  • 1º outubro de 2019: contribuintes com receita bruta anual entre R$4.500.000,00 e R$15.000.000,00 em 2018;
  • 1º de fevereiro de 2020: contribuintes com receita bruta anual inferior a R$4.500.000,00 em 2018 e demais contribuintes.

Considera-se receita bruta anual: produto da venda de bens e serviços nas operações por conta própria, preço dos serviços prestados, mesmo que não sujeitos ao ICMS, e resultado auferido nas operações por conta alheia, não incluído o IPI, as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos.

Uso do ECF e Nota Fiscal de Venda ao Consumidor

Contando a partir da data de obrigatoriedade ou de credenciamento voluntário, contribuintes poderão utilizar seus emissores de cupom fiscal ECF já autorizados por até 9 meses, ou até que a memória do equipamento acabe, o que ocorrer primeiro.

Em até 60 dias após o fim desse prazo, caso o contribuinte ainda não tenha parado de usar o ECF, terá a autorização de uso do seu ECF cancelada. Todos os Cupons Fiscais emitidos após este período serão considerados falsos para todos os efeitos fiscais.

Em relação à Nota Fiscal de Venda ao Consumidor, não há período de tolerância adicional. Serão consideradas falsas para todos os efeitos fiscais as Notas Fiscais de Venda ao Consumidor emitidas após a data de obrigatoriedade daquele contribuinte.

No entanto, em caso de operações realizadas fora do estabelecimento, é permitida a utilização da Nota Fiscal de Venda ao Consumidor, modelo 2, até o dia 28 de fevereiro de 2018.

MEI – Microempreendedor Individual

A obrigatoriedade NFCe Minas Gerais não se aplica ao Microempreendedor Individual, independente da receita bruta anual.

Para os contribuintes do MEI, não há prazos estabelecidos, tampouco previsão de que a obrigatoriedade seja futuramente aplicada.

Adesão a NFCe para todos os contribuintes

Na Resolução Nº 5.234, também foi publicada a data de abertura da Adesão Voluntária à NFCe Minas Gerais.

A partir do dia 1º de março de 2019, qualquer contribuinte ainda não afetado pela obrigatoriedade, poderá voluntariamente aderir à NFCe.

Como aderir à NFCe Minas Gerais?

Para os contribuintes varejistas mineiros, a partir do dia 1º de março de 2019, a adesão à Nota Fiscal do Consumidor eletrônica pode ser feita através do credenciamento junto à SEFAZ-MG ou consulte seu contador.

Para realizar o credenciamento, basta seguir as orientações disponíveis no Portal SPED MG. É importante lembrar que esse credenciamento é irrevogável, e uma vez feito, o contribuinte não poderá mais obter autorização de uso do ECF ou emitir Nota Fiscal de Venda ao Consumidor.

Temos solução pronta para atender sua empresa.

Saiba mais!

1
Olá!
Em que posso ajudar, vamos conversar?
Powered by