Simplificado - Consulta NFe e CTe

Mudanças no web service serviço de consulta de NF-e / CT-e destinadas

Como funcionam as consultas no Web Service?

A consulta dos documentos é realizada de forma sequencial, a partir de uma posição do banco de dados, baseada no valor informado no parâmetro “último número sequencial único” (NSU). Isso porque as NF-e são organizadas no banco na ordem em que o Ambiente Nacional recebeu a NF-e da SEFAZ de origem. O processo de recepção e sincronização não será realizado em ordem cronológica de emissão ou autorização de uso.

A busca é interrompida quando localizados 50 documentos (NF-e ou Eventos da NF-e), quando forem percorridos 50 mil registros do banco de dados ou, ainda, quando alcançar o fim do banco de dados.

Diferenças entre o antigo e o novo Web Service

O antigo Web Service de consultas de NF-e destinadas (ConsultDest) realizava a consulta de todas as NF-e emitidas nos últimos 15 dias. Esse serviço foi desativado no dia 02/02/2015.

Desde a desativação do serviço ConsultDest, o SEFAZ disponibilizou um novo serviço (DistDFe), que realiza a consulta de todas as NF-e emitidas nos últimos 90 dias.

Com isso, quem faz a utilização de um software de gestão fiscal tem a garantia de uma consulta muito mais ampla por NF-e destinadas.  Com o novo Web Service, a busca com o software de gestão fiscal vai até 90 dias, o que pode ser visto como uma boa vantagem.

O processo de verificação no SEFAZ também é possível para as empresas que ainda não possuem uma consultoria ou um software para a gestão do recebimento das notas fiscais eletrônicas. No entanto, por ser um trabalho manual e sem a garantia que o Web Service proporciona, o tempo operacional é uma grande demanda para a empresa, tem altos custos e possibilidades de erros.

Sistemas de gestão de documentos fiscais

O Sistema Simplificado realiza a gestão dos documentos fiscais. Ele trabalham com a parametrização do NSU por estabelecimento e permitem que o sequencial de consulta seja zerado. Dessa maneira, o serviço realiza a busca dos XMLs dos 90 dias anteriores à data de consulta, conforme mencionei acima, e realiza o download automático dos documentos, que já constam com a manifestação do destinatário. Os XMLs que não estiverem manifestados ficarão pendentes de importação.

Alguns sistemas de gerenciamento fiscal tornam possível a visualização do registro de todas as notas fiscais destinadas à empresa. Utilizando o Web Service de consulta, é possível que o sistema indique se o XML existe no SEFAZ, qual a situação dos documentos referente à manifestação do destinatário, etc.

Um sistema desse nível de controle fornece de forma prática algumas informações que ajudam a identificar se os documentos estão corretos ou apresentam pendências.  Contudo, é sempre importante estar atento às mudanças que acorrem no âmbito que envolve a parte técnica do mundo fiscal e tributário. Uma pequena alteração, como esta ocorrida no Web Service, pode proporcionar um impacto positivo às organizações ou pode ser uma vantagem desconhecida se jamais for estudada.

http://www.simplificado.com.br/

 

importancia da NFe

Qual é a importância da nota fiscal eletrônica?

Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) acarretou mudanças radicais para a rotina contábil das empresas brasileiras. Instituído em janeiro de 2007, trouxe como objetivos a promoção da integração entre os Fiscos. Além da racionalização e uniformização das obrigações acessórias para os contribuintes e o ganho de celeridade na identificação de ilícitos tributários.

O SPED surgiu a partir de três grandes projetos. São eles: a Escrituração Contábil Digital (ECD), a Escrituração Fiscal Digital (EFD) e a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Esses três projetos estabeleceram um novo nível de relacionamento entre o Fisco e os contribuintes, trazendo reflexos positivos para toda a sociedade.

Neste artigo, vamos ressaltar as vantagens e benefícios de um destes projetos: a Nota Fiscal Eletrônica. Acompanhe!

Qual o objetivo da NF-e?

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é um projeto desenvolvido em conjunto entre as Secretarias de Fazenda estaduais e a Secretaria da Receita Federal (SRF). Seu objetivo é a implantação de um modelo de documento fiscal eletrônico para a substituição, em âmbito nacional, dos documentos fiscais emitidos em papel.

O que é a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)?

A nota fiscal é um documento que comprova a realização de transações de diversas naturezas envolvendo mercadorias e produtos ou prestação de serviços.

A NF-e é a nota fiscal em formato eletrônico. É conceituada pelo próprio Fisco como “um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar, para fins fiscais, uma operação de circulação de mercadorias ou uma prestação de serviços, ocorrida entre as partes”.

Muita gente pensa que o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (DANFE) e a NF-e são a mesma coisa. Porém, o conceito acima ajuda a esclarecer esse erro comum, mostrando que a NF-e é um documento de existência apenas digital, enquanto o DANFE é a representação física da NF-e.

Para que o documento eletrônico tenha validade jurídica, é necessário contar com a assinatura digital do remetente e com a autorização e recepção da NF-e pela respectiva fazenda estadual antes da saída da mercadoria do estabelecimento.

Quais os benefícios obtidos com a Nota Fiscal Eletrônica?

Dentre os principais benefícios e vantagens trazidos pela implantação da NF-e, o Portal da NF-e cita:

Benefícios para o Contribuinte:

  • Redução de custos de impressão;
  • Redução de custos de aquisição de papel;
  • Redução de custos de envio do documento fiscal;
  • Redução de custos de armazenagem de documentos fiscais;
  • Simplificação de obrigações acessórias, como dispensa de AIDF;
  • Redução de tempo de parada de caminhões em Postos Fiscais de Fronteira;
  • Incentivo ao uso de relacionamentos eletrônicos com clientes (B2B);

Benefícios para o Comprador:

  • Eliminação de digitação de notas fiscais na recepção de mercadorias;
  • Planejamento de logística de entrega pela recepção antecipada da informação da NF-e;
  • Redução de erros de escrituração devido a erros de digitação de notas fiscais;
  • Incentivo a uso de relacionamentos eletrônicos com fornecedores (B2B);

Benefícios para a Sociedade:

  • Redução do consumo de papel, com impacto em termos ecológicos;
  • Incentivo ao comércio eletrônico e ao uso de novas tecnologias;
  • Padronização dos relacionamentos eletrônicos entre empresas;
  • Surgimento de oportunidades de negócios e empregos na prestação de serviços ligados à Nota Fiscal Eletrônica.

Benefícios para as Administrações Tributárias:

  • Aumento na confiabilidade da Nota Fiscal;
  • Melhoria no processo de controle fiscal, possibilitando um melhor intercâmbio e compartilhamento de informações entre os fiscos;
  • Redução de custos no processo de controle das notas fiscais capturadas pela fiscalização de mercadorias em trânsito;
  • Diminuição da sonegação e aumento da arrecadação;
  • Suporte aos projetos de escrituração eletrônica contábil e fiscal da SRF (Sistema Público de Escrituração Digital – SPED).

Quais os impactos para a rotina do contador?

A obrigatoriedade da NF-e teve impactos diversos para a rotina do contador e dos responsáveis pelas rotinas fiscais das empresas.

Como a NF-e é transmitida em tempo real para o Fisco, houve o aumento na responsabilidade de emitir os documentos fiscais de forma correta. Um erro de preenchimento ou de transmissão pode atrasar ou inviabilizar uma operação de venda e transporte de mercadorias e produtos. Com isso, a responsabilidade do contador frente aos resultados da empresa aumentou significativamente.

Por outro lado, a implantação da NF-e trouxe oportunidades de ganhos com a adequação tecnológica das empresas para atender ao processo de emissão e armazenamento dos documentos fiscais. Com a adoção de sistemas automatizados para emissão das notas fiscais pelas empresas, o contador ganha um recurso a mais para aumentar sua produtividade e efetividade.

Quais as mudanças nas rotinas das empresas?

A implantação da nota fiscal eletrônica trouxe mudanças para a rotina de gestores e administradores das empresas. Uma das principais mudanças está relacionada à estrutura necessária para emitir e arquivar os documentos eletrônicos. Empresas que contavam com processos manuais se viram obrigadas a informatizar seus processos de vendas e emissão de notas fiscais.

Para esta informatização, as empresas passaram a ter maior contato com profissionais especializados e com softwares de gestão para automatizar suas rotinas e processos. Os gestores que entenderam a importância e os benefícios trazidos por estas soluções, acabaram por informatizar não somente as rotinas relacionadas às notas fiscais eletrônicas, mas todos os processos da empresa.

Assim, a adoção da NF-e foi um passo importante para uma grande mudança na estrutura tecnológica, principalmente nas pequenas e médias empresas brasileiras.

Quais os impactos para as pequenas e médias empresas?

A única categoria desobrigada à emissão da NF-e é a do Microempreendedor Individual. Já as demais pequenas e médias empresas brasileiras que são, na maioria, optantes do Simples Nacional, não estão isentas dessa obrigação.

Com isso, essa categoria de empresas passou a contar com benefícios como o incentivo ao uso de relacionamentos eletrônicos com clientes e fornecedores. Estas soluções, conhecidas como B2B (business-to-business) já eram amplamente utilizadas por grandes empresas, geralmente com maiores recursos para implantação de sistemas de softwares de gestão.

Com o advento da NF-e, espera-se que o nível de utilização de recursos tecnológicos seja efetivamente impulsionado pela utilização de padrões abertos de comunicação pela Internet. Também pela segurança trazida pela certificação digital e pela ampliação da oferta de soluções tecnológicas que integrem obrigações fiscais e facilidades de gestão à custos acessíveis.

Nova versão NFe

Cerca de 1,3 milhão de empresas precisam se adaptar à nova versão da NF-e

Cerca de 1,3 milhão de empresas emissoras de Notas Fiscais eletrônicas (NF-e) no Brasil terão que se adaptar à nova versão do documento fiscal. Desde que a NF-e foi instituída no país em 2005, já foram autorizadas aproximadamente 16 bilhões de notas fiscais eletrônicas.

A partir de 1º de junho, a versão 4.00 da NF-e entra em vigor no ambiente de homologação, onde são feitos os testes. A partir de 1º de agosto, ela passa a valer no ambiente de produção. Dia 6 de novembro, será desativada a versão 3.10 da NF-e, e as empresas que não migrarem para a 4.00 não conseguirão mais emitir a nota eletrônica.

Essa mudança de versão do documento fiscal eletrônico exige adaptações rápidas dos usuários na busca por soluções mais completas, que façam a emissão dos documentos eletrônicos e ainda agreguem outros benefícios aos negócios, como funcionalidades de controle e gestão.

Atento a esta legislação, nós do simplificado já atualizamos o nosso emissor de NF-e para não te deixar na não.

Melhor do que emissor de NF-e do governo, com o Simplificado você tem controle e emissão online você poupa tempo porque as notas fiscais são tiradas com dados cadastrados no sistema ao mesmo tempo em que acionam automaticamente fluxos de venda e contas a receber.

Além do emissor de NFe, o simplificado também conta com um modulo de armazenamento de xml que mantem seus Xml’s de NF-e, CT-e, NFS-e e demais arquivos organizados em tempo real e automático. Não perca tempo solicitando nota fiscal ao fornecedor ou em meio a papeladas e e-mails.

Consulta XML diretamente da SEFAZ

Consulta XML diretamente da SEFAZ

Se você ainda não conhece, visite nosso site e pela a demostração a um de nossos consultores. www.simplificado.com.br