emissor de boleto

BC autoriza que pessoa utilize boleto para depositar na própria conta

Banco Central (BC) autorizou nesta quinta-feira, 1°, que clientes de bancos e de instituições de pagamentos possam utilizar boletos bancários para fazer depósitos em suas próprias contas. Para isso, o boleto será emitido em nome do próprio titular da conta. A medida deve beneficiar quem mora em locais sem agência bancária ou rede 24 horas; e clientes de bancos digitais.

Algumas instituições já vinham oferecendo esta possibilidade a seus clientes, mas ainda não havia uma normatização, por parte do BC, em relação ao instrumento nestes casos.

Na prática, com a decisão, um cliente de banco que more em uma cidade sem agência bancária ou rede 24 horas, por exemplo, poderá utilizar um boleto bancário, emitido em seu nome, para fazer depósito na instituição. Para isso, basta pagar o boleto. O processo pode ser feito por uma lotérica, por exemplo.

Essa possibilidade vale para todas as instituições, inclusive para os chamados “bancos digitais”, caracterizados pela relação com os clientes via aplicativos, e não por redes físicas de atendimento.

“O boleto é um instrumento interbancário de ampla aceitação, que possibilita depósitos ou aportes em contas com flexibilidade de utilização, aceitando inclusive pagamentos em espécie”, registrou o BC na nota. “Dessa forma, poderá atender clientes de instituições que não possuem redes físicas de atendimento (bancos digitais) e pessoas que não têm contas de depósito”, acrescentou a instituição.

Se você ainda não emite boletos, conheça a solução de gestão completa do Simplificado para emissão e gestão de boletos.

Fonte: https://veja.abril.com.br/economia/bc-autoriza-que-pessoa-utilize-boleto-para-depositar-na-propria-conta/

redes sociais para empresas

PARE DE ERRAR, APRENDA A USAR AS REDES SOCIAIS PARA A SUA EMPRESA

Quem não tem uma rede social atualmente? Hoje, este meio de comunicação se tornou essencial na vida da comunidade mundial. O uso das redes sociais acabou possibilitando um melhor contato entre pessoas de todos os locais.
Logo, as empresas começaram a se interessar por utilizar este tipo de meio como uma forma de divulgação, atingindo assim grande parte do público através de uma estratégia bem mais econômica.
Porém, assim como as redes sociais podem ser utilizadas como aliadas, o seu mal uso pode acabar manchando sua imagem no mercado. Por isso, hoje separei um tutorial completo para você, que busca utilizar esta ferramenta para o bem.

Vamos descobrir mais sobre?

1.CRIE UMA IDENTIDADE VISUAL

Uma das grandes estratégias utilizadas para as redes sociais é voltar o seu feed para uma única identidade visual. Mas, o que isto significa?
Pense bem, é muito mais fácil uma pessoa lembrar de uma marca na qual segue um padrão de cores e formas em todas as suas postagens do que uma que é totalmente bagunçada.
Então, utilize cores bases para formar seu feed em todas as plataformas, além de sempre deixar sua logomarca discretamente em casa imagem publicada.
Para este item, sugiro que você tenha um profissional especializado para realizar esta construção

2.SEGUIDORES

Outra grande dica para parar de errar de vez em suas redes sociais é o foco em seguidores que seguem o perfil de sua empresa. Por exemplo, se o seu ramo é voltado para maquiagens, o ideal é seguir aquele público que utilizaria o produto.
Desta forma, você acaba tornando o seu investimento de tempo selecionando este público mais vantajoso, pois as chances de receber algum retorno aumentam.
Claro, você também pode seguir pessoas que fujam deste padrão, desde que isto não vire cotidiano ou a grande maioria.

3. PERFIL PROFISSIONAL

Outro item que é essencial para fazer com que as redes sociais de uma empresa funcionem é tornar o seu perfil profissional. Isso porque é através desse tipo de perfil que você consegue colher informações essenciais de feedback.
Como exemplo, a empresa conseguirá identificar quantas pessoas conseguiram visualizar duas publicações, visitaram o seu perfil, salvaram o seu post, o horário de pico e aquele mais baixo em visualizações, os dias da semana de mais acesso, entre outros.
Isso acaba fazendo o setor de marketing de uma marca conhecer melhor o seu público, o que ele gosta e os dias em que o seu feed mais funciona. Desta forma, ficará muito mais fácil realizar uma intervenção sábia e que atinja seu público.

4. GERE ENGAJAMENTO

Através da solução citada acima, o foco das redes sociais deve passar a ser gerar engajamento. Para isso, você deve conseguir formas de atrair este público ao seu site.
Isso pode ser realizado através de publicações com dicas, liberação de algum tipo de conteúdo que realmente seja relevante para este público.
Desta forma, as chances de cada vez mais a sua marca seja relevante aumentam, o que acaba gerando o marketing boca a boca.

O engajamento é essencial para que uma marca consiga crescer.

5. CONCLUSÃO

Como podemos verificar, não é complicado investir em algumas técnicas que vão levar a sua empresa a crescer cada vez mais. Cometer pequenos erros é comum nesta fase de adaptação, então o foco deve ser evitá-los ao máximo.
Além disso, utilizar as redes sociais leva a sua marca a se aproximar cada vez mais do público, algo bastante positivo. Então, prepare uma equipe para que possa sempre oferecer um retorno para possíveis dúvidas e problemas acerca de publicações em geral.
No mais, aplicando nossas 4 dicas você conseguirá observar a evolução de seu perfil, além da sua constante aproximação com seu público alvo.

NFC-e Simplificado

O que é a NFC-e?

A NFC-e é a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica, um documento totalmente eletrônico que vem para substituir as notas fiscais de venda ao consumidor e o cupom fiscal.

A NFC-e vem com o intuito de informatizar os cupons fiscais, registrando todas as vendas, assim podendo ser vistas pelo consumidor posteriormente, se tornando assim muito mais fácil de se fazer a consulta.

É importante saber que a partir do momento em que você adere à NFC-e é impossível voltar atrás, ou seja, deverá continuar emitindo a nota a partir do momento em que decide aderir.

Como eu consulto a NFC-e?

A maneira de consultar a NFCe é com a leitura do QR Code que será impresso no DANFe-NFCe. Uma outra maneira possível é consultar através do portal estadual da NFCe utilizando a chave de acesso contida em seu DANFe.

Como é emitida a NFC-e?

A NFC-e é emitida ao consumidor pela empresa que utiliza um Programa Emissor que será escolhido pela mesma, já que a Secretaria da Fazenda não possui um Programa Emissor próprio. Depois de ser criada de maneira eletrônica a NFC-e será transmitida para a Secretaria da Fazenda via online.

Caso existam problemas técnicos durante a emissão da NFC-e, a nota poderá ser emitida de maneira off-line, sem a prévia autorização do Fisco, podendo transmiti-la à Secretaria da Fazenda em um prazo de até 24 horas.

No caso de emissão em contingência deverá constar obrigatoriamente no DANFE NFC-e a mensagem “EMITIDA EM CONTINGÊNCIA”.

Quais são os benefícios para as empresas emissoras?

  • Redução de custos com:

– Dispensa de obrigatoriedade de adoção de equipamento fiscal para emissão de NFC-e;

– Não exigência de qualquer tipo de homologação de hardware ou software;

– Possibilidade de uso de Impressora não fiscal;

– Simplificação de obrigações acessórias (dispensa de redução Z, leitura X, mapa de caixa, aposição de lacres, registros em atestados de intervenção);

– Não exigência da figura do interventor técnico;

– Uso de papel com menor requisito de tempo de guarda;

  • Transmissão em tempo real ou online da NFC-e
  • Redução significativa dos gastos com papel;
  • Integrado com programas de cidadania fiscal;
  • Uso de novas tecnologias de mobilidade;
  • Flexibilidade de expansão de pontos de venda no estabelecimento sem necessidade de obtenção de autorização do Fisco;
  • Possibilidade, a critério do consumidor, de impressão de documento auxiliar resumido, ou apenas por mensagem eletrônica;
  • Integração de plataformas de vendas físicas e virtuais.

Quais são os benefícios para o consumidor?

  • Possibilidade de consulta em tempo real ou online de suas NFC-e no portal da SEFAZ;
  • Segurança quanto à validade e autenticidade da transação comercial;
  • Possibilidade de receber DANFE da NFC-e Ecológico (resumido) ou por e-mail ou SMS.

Como é feito o armazenamento da NFC-e?

A obrigatoriedade de armazenamento por 5 anos ainda será válida mesmo com a passagem para a NCF-e. A partir do momento em que esta emissão se torna completamente eletrônica, serão necessárias novas ferramentas para que este armazenamento seja feito.

O armazenamento pode ser feito direto no disco de seu computador, em algum sistema de backup de sua preferência ou por um serviço de armazenamento em banco de dados.

Entre em contato com a nossa equipe comercial e solicite maiores informações, estaremos prontos para lhe atender:

comercial@simplificado.com.br

www.simplificado.com.br